Entra governo, sai governo, descaso com meio ambiente continua (e nosso trabalho também)

by | 1 Fev 2019

A queda da barreira em Brumadinho foi a gota d’água em um mar de lama

A gente no PorQueNão? andava desanimado, vendo os primeiros dias do ano trazerem notícias difíceis para quem acha que o meio ambiente não é ‘um bom negócio’ mas sim a nossa casa.

Pensa comigo: imaginemos que eu comprei uma casa linda, bem do jeito que sempre sonhei. No meu caso, certamente ela é na praia. Tem um quintal nos fundos onde eu posso plantar, fazer minha hortinha, tem uma rede onde eu posso deitar para ler meus livros, uma mesa para eu escrever e trabalhar e uma cozinha para fazer “minhas coisas”: germinar, fermentar, colonizar (kefir, kombucha), cozinhar, enfim, preparar as minhas comidas “esquisitas” e naturebas. Nossa, como eu preciso de pouca coisa! Só isso tudo que eu falei, e mais um espaço para receber minha família e amigos, poucos de cada vez.

Daí chega alguém e diz que a casa vale X reais e que quer adquirir para isso ou aquilo e eu tenho que tentar explicar para essa pessoa que eu não vejo a minha casa como valendo X, ou mil, ou um milhão de reais, mas apenas (“apenas”) como o meu lar. Vai ser difícil para ela compreender isso, concorda?

E assim é com o PorQueNão? – cada um de nós votou em um candidato, cada um tem o seu entendimento particular de política, e o mais importante para cada um é que o coletivo continue falando, e inspirando, de forma independente na medida do possível. Se o Haddad tivesse ganho as eleições, o PQN? continuaria atuando da mesma forma; idem para o Boulos, o Ciro, ou a Marina. E se o Bolsonaro cair e tiver um governo militar… não, não vamos falar disso. A gente continua batendo na tecla do descaso ambiental. Continuamos nadando na paralela ao mundo que aparece nos jornais. E também não nos deixamos pautar pelos jornais! Nossa agenda é outra, voltada para o futuro, inspiracional, propositiva, construtiva. A gente constrói uma nova história todos os dias, plantando, colhendo, escrevendo, filmando, mesmo se as corporações destroem a natureza todos os dias.

Acreditamos em um mundo melhor, mas quando pessoas, bichos e natureza é soterrada por um mar de lama esse exercício fica mais difícil. Nos últimos tempos fomos, nós também, soterrados por um mar de notícias complicadas. Só no primeiro mês do atual governo:

~> O Ministério do Meio Ambiente foi “reorganizado”
~> A demarcação de terras indígenas e quilombolas foi transferida para a pasta do agronegócio – ops, Agricultura ~> Governo enfraquece Funai e joga sombra sobre futuro socioambiental do país
~> Bolsonaro retira atribuições de conselho de Segurança Alimentar (CONSEA)
~> ‘Menino veste azul e menina veste rosa’, diz Damares Alves em vídeo
~> Brasil pode sediar base militar americana no futuro

 O nepotismo deixou de ser problema:

~> Filho do vice-presidente Mourão é indicado para cargo de assessor especial da presidência do Banco do Brasil ~> ‘Amigo particular’ de Bolsonaro é indicado a gerente de Segurança da Petrobras

~> Gestão Bolsonaro muda edital de livros, abre margem para erros e retira violência contra a mulher  –  e depois recua
~> Em dez dias, governo Bolsonaro coleciona recuos, desencontros e medidas polêmicas
~> Posse de armas foi flexibilizada
~> Milícias e corrupção deixam de ser problemas: o Caso Queiróz
~> Funcionária que disparou WhatsApp para Bolsonaro ganha cargo no Planalto
~> O breve discurso de Bolsonaro decepciona em Davos
~> Passamos vergonha com frases como “Somos o país que mais preserva o meio ambiente”, almoço solo no bandejão e cancelamento de coletiva internacional
~> Jean Wyllys decide não tomar posse para novo mandato frente ao silêncio retumbante da PF à ameaças sutis como ‘Vou te matar com explosivos’, ‘quebrar seu pescoço’ e ‘estuprar e desmembrar a sua mãe’
~> Nossa Ministra Damares continuou causando e soltando frases como ‘Holandeses masturbam bebês’

Ai, cansamos. A lista é longa mas tá pausada enquanto o presidente está internado para retirar a bolsa de colostomia.

Tá, bom, e daqui para a frente? A gente continua fazendo o que sempre fez: capinando, plantando, colhendo, escrevendo, inspirando, e como diria o Cérebro para o Pinky, tentando dominar o mundo. Só que no bom sentido.

Luciana Sendyk

Escritora

Escrevo livros (autorais ou de terceiros), textos, anúncios, sites, blogs, peças de teatro, projetos diversos e, especialmente, aqui no PorQueNão?. Sanitarista de formação, ecossocialista por opção e vegana por ideologia, feminista e engajada, o que não falta é tema para redação. Acredito que escrever é um ato político e que atuar pode transformar o mundo.

Gostou?

Lembramos que a missão do PorQueNão? é divulgar conteúdos riquíssimos como esse.  Conheça a nossa campanha de financiamento.