Jovem sueca lidera greve estudantil global contra a crise climática (e você pode fazer parte)

by | 8 Mar 2019

 

FREAR A MUDANÇA CLIMÁTICA É NECESSÁRIO E URGENTE – ATÉ UMA CRIANÇA SABE DISSO

“Como nossos líderes comportam-se como crianças, nós teremos que assumir a responsabilidade que eles deveriam ter assumido há muito tempo atrás”

– Greta Thunberg

Tem um provérbio indígena que diz “Nós não herdamos a Terra de nossos antecessores, nós a pegamos emprestada de nossas crianças”. E são elas, as crianças, quem estão pedindo para que os adultos se comportem como se fossem… adultos.

A sueca Greta Thunberg tem 16 anos e é a cara deste movimento. Ela é fofa, tem um cachorro fofo (veja no insta dela) e um diagnóstico de Síndrome de Asperger (forma branda de transtorno do espectro autista) o que, segundo a própria, só ajuda: ela não gosta de interagir demais com as pessoas, só fala o necessário e não liga muito para o que pensam dela.

Filha de uma famosa cantora de ópera e de um aclamado ator, ela sabe como pôr a boca no mundo e dizer o que pensa. Foi assim que ela ‘causou’ em Davos, durante o Fórum Econômico Mundial, no TEDx em Estocolmo, e na COP24 na Polônia, onde ela disse:

“No ano de 2078, celebrarei meu 75º aniversário. Se eu tiver filhos, talvez eles passem esse dia comigo. Talvez eles me perguntem sobre vocês. Talvez eles perguntem por que vocês não fizeram nada enquanto ainda havia tempo para agir.”

Greta Thunberg

Ela fala mesmo, mas sua atuação não é somente da boca para a fora. Desde que ouviu pela primeira vez que era preciso reduzir as emissões de carbono, quanto tinha 8 ou 9 anos, Greta parou de comer carne e laticínios e passou a se recusar a fazer qualquer compra que não seja absolutamente necessária.

Agora a casa da sua família tem painéis solares instalados, sua própria horta e um carro elétrico – que só sai da garagem quando é indispensável. Em geral, a família se locomove de bicicleta.

Ela começou um protesto, sozinha, diante do Parlamento Sueco, e conseguiu arregimentar jovens de todos os cantos do planeta. Entre as propostas de mudança, ela estimulou uma greve de escola às sextas-feiras, no mundo todo. Afinal, “para que ir à aula, se não teremos futuro?”, pergunta a jovem que se tornou ícone global do desaquecimento.

A ideia é agir como se o mundo estivesse queimando – porque o mundo está mesmo queimando.

Olha só a mobilização de estudantes em Liège na Bélgica:

Está marcado para 15 de março um protesto global contra os “tomadores de decisão do mundo”, o movimento Juventude pelo Clima divulgou a seguinte carta aberta:

Nós, jovens, não aceitaremos uma vida com medo e devastação

Nós, os jovens, estamos profundamente preocupados com o nosso futuro. A humanidade está, atualmente, causando a sexta extinção em massa de espécies e o sistema climático global está à beira de uma crise catastrófica. Seus impactos devastadores já são sentidos por milhões de pessoas em todo o mundo. No entanto, estamos longe de alcançar as metas do Acordo de Paris.
Nós, jovens, somos mais da metade da população global. Nossa geração cresceu com a crise climática e teremos que lidar com isso pelo resto de nossas vidas. Apesar disso, a maioria de nós não está incluída no processo decisório local e global. Nós somos o futuro sem voz da humanidade.
Nós não aceitaremos mais essa injustiça. Nós exigimos justiça climática! Exigimos justiça para todas as vítimas passadas, atuais e futuras da crise climática. Por isso estamos lutando! Milhares de jovens tomaram as ruas, nas últimas semanas, em todo o mundo. Agora vamos fazer nossas vozes serem ouvidas. No dia 15 de março, protestaremos em cada continente.
Temos que, finalmente, tratar a crise climática como uma crise. É a maior ameaça na história da humanidade e não aceitaremos a nossa extinção. Nós não aceitaremos uma vida com medo e devastação. Temos o direito de viver nossos sonhos e esperanças. As mudança climáticas já acontecem. Pessoas morreram, estão morrendo e vão morrer por causa disso, mas podemos e vamos parar com essa loucura.
Nós, os jovens, começamos a nos mobilizar. Nós vamos mudar o destino da humanidade, quer você goste ou não. Unidos vamos nos levantar no dia 15 de março e muitas vezes mais, até vermos a justiça climática. Exigimos que os tomadores de decisão do mundo assumam a responsabilidade e resolvam essa crise ou renunciem.Vocês nos falharam no passado. Se vocês continuarem nos falhando no futuro, nós, os jovens, faremos a mudança acontecer por nós mesmos. A juventude desse mundo começou a se mobilizar e não vamos parar!

(Carta aberta escrita pela liderança do grupo de coordenação global da Juventude pelo Clima)

 

Cidades do Brasil que aderiram à mobilização mundial pelo clima do dia 15/03:

  • Belo Horizonte
  • Mogi das Cruzes – falar com Jenifer Rocha jenalvim@gmail.com
  • Recife
  • Rio de Janeiro

Se sua cidade, fará parte também, entre em contato com a gente.

Luciana Sendyk

Escritora

Escrevo livros (autorais ou de terceiros), textos, anúncios, sites, blogs, peças de teatro, projetos diversos e, especialmente, aqui no PorQueNão?. Sanitarista de formação, ecossocialista por opção e vegana por ideologia, feminista e engajada, o que não falta é tema para redação. Acredito que escrever é um ato político e que atuar pode transformar o mundo.

Gostou?

Lembramos que a missão do PorQueNão? é divulgar conteúdos riquíssimos como esse. Conheça os serviços que oferecemos para potencializar iniciativas inovadoras.