PALESTRA SOBRE PERMACULTURA TROUXE INÚMERAS PERGUNTAS E UM CONJUNTO DE RESPOSTAS

by | 13 Ago 2018

Festival Setor Criativo Sul contou com o mestre permacultural Sérgio Pamplona, retratado na imagem pelos olhos das meninas do Mirá

Permacultura é uma palavra pouco conhecida. Como serendipidade, ou epifania.

Sabe aqueles raros momentos em que você descobre alguma coisa que traz em si a resposta para várias das suas grandes questões, e tudo o que acontece faz sentido? Aquela luz que acende no alto da cabeça e você bate na testa e grita eureka (tudo bem, essa é uma cena de filme. Foi só para ilustrar, mesmo). Foi assim quando descobri a permacultura, e foi essa a sensação durante a palestra Permacultura: soluções criativas para os desafios da atualidade do Sérgio Pamplona no Festival Setor Criativo Sul.

Arquiteto e urbanista, Sérgio vive e ensina permacultura no sítio Nós na Teia. Ele começou a exposição dizendo que a Hipótese de Gaia já alcançou o status de Teoria de Gaia – o que tem grande importância do ponto de vista científico. Esta teoria percebe o planeta Terra como um sistema inteligente e vivo, que se autoregula e elimina seus inimigos – que podemos ser nós, seres humanos consumistas e destrutivos. Que aliás somos bem frágeis, só topamos dormir ao relento ou sobre a copa das árvores em último caso ou, vá lá, em reality shows ou férias de aventura.

Mas somos também inteligentes, certo? Bem, para dizer da forma correta é melhor dizer que fazemos parte de um sistema inteligente. Nós é que nos intitulamos homo sapiens – mas nem sempre fazemos jus ao título. A melhor forma de demonstrar essa sagacidade toda, agora, seria interromper o fluxo de destruição, desigualdade e aquecimento global e passarmos a conviver em harmonia com esse sistema lindo que é a nossa mãe natureza.

Em resumo, a permacultura apresenta três princípios éticos: cuidar da Terra (e da terra), cuidar das pessoas e fazer a partilha justa dos nossos recursos. O Sérgio lembrou que a cada vez que trocamos de iPhone, deixamos no lugar do aparelho “antigo” – entre mil aspas – um buraco escavado em rochas minerais na África central, possivelmente alguns cadáveres, e eventualmente uma dose de trabalho escravo ou análogo. Sociedades mais industriais como a Suiça contribuem ainda mais, e não menos, com a desigualdade, pois a produção delas é realizada, na vida real, em países como a China, onde a mão de obra é fácil e barata. Enfim, tudo o que a gente compra é retirado da natureza e devolvido depois – em forma de lixo.

Qual a solução? Sérgio defende que as cidades terão que ser fragmentadas, divididas em unidades menores e com muita agricultura no meio delas. A recente greve dos caminhoneiros mostrou como as grandes cidades são frágeis e poucos resilientes. A resposta da permacultura é uma mudança de paradigmas que engloba o manejo da terra e da natureza, novos formatos de cultura e educação, transformações profundas na economia e nas finanças, uma nova e completa visão de mundo.

Quem perdeu o Festival Setor Criativo Sul, perdeu. Mas quem quiser ver – ou rever – a palestra do Sérgio Pamplona poderá fazê-lo em breve, pois o PorQueNão? filmou tudo. Em breve estará disponível no mesmo PorQueNão? canal e na mesma PorQueNão? hora, que é qualquer uma. Esta é uma das grandes coisas da web: conhecimento fresquinho e reflexões profundas a qualquer hora e em qualquer lugar. Basta seguir o canal de mídia que tem a missão de trazer o melhor das iniciativas transformadoras para você.

Ah, antes que eu esqueça: serendipidade é o ato de encontrar soluções criativas e inesperadas para grandes questões. Quando, de forma sagaz, de repente e quase sem querer, alguém descobre algo que o faz mudar de vida, a solução para os seus problemas, a resposta para as suas perguntas. É semelhante ao eureka alegado aos cientistas.

Já epifania é um termo bastante usado em religiões, que do ponto de vista filosófico significa uma sensação profunda de realização, no sentido de compreender a essência das coisas. Ou seja, a sensação de considerar algo como solucionado, esclarecido ou completo.

A imagem que abre essa matéria é a facilitação gráfica realizada pelo Mirá. O Sérgio explicou, na palestra, que a expressão design permacultural se refere à desenho, mas também ao termo em latim desígnio. Enquanto que o nome completo das meninas da intervenção é Mirá Design de Ideias. Pense nisso  😉

Luciana Sendyk

Escritora

Escrevo livros (autorais ou de terceiros), textos, anúncios, sites, blogs, peças de teatro, projetos diversos e, especialmente, aqui no PorQueNão?. Sanitarista de formação, ecossocialista por opção e vegana por ideologia, feminista e engajada, o que não falta é tema para redação. Acredito que escrever é um ato político e que atuar pode transformar o mundo.

Gostou?

Lembramos que a missão do PorQueNão? é divulgar conteúdos riquíssimos como esse.  Conheça a nossa campanha de financiamento.