[headline type=”type2″ color=”#999999″ size=”h1″]Dois Curiosos[/headline]

[divider style=”double” height=”2px” color=”#eeeeee”]

perfil-guto“As coisas são assim mesmo”, costumamos ouvir algo do tipo, desde o berço, resmungado pela pessoa que assiste a vida. Por quê as coisas são “assim mesmo”? Desde quando esse “assim mesmo” existe? Por quê ele existe? De onde ele veio? Nunca me desceu pela garganta a aceitação passiva das coisas. Sempre questionei. Sempre me questionei. E pretendo continuar questionando tudo aquilo que pode e deve ser questionado. Fui presenteado com a possibilidade de poder questionar. De não ser obrigado a correr atrás de qualquer dinheiro para garantir o pão do dia e o teto da família, que como sabemos, é a triste realidade da maioria brasileira. Tive uma ótima base familiar, que me deu toda a assistência afetiva e material que precisamos para um desenvolvimento saudável. Tive muita sorte, graças, bençãos, ou o que quer que seja, o tive. E por isso sou grato. Partilhar dessa gratidão é uma vontade que me move. Que faz com que meus pensamentos se alinhem com meus atos. Dessa vontade surgiu a semente do “PorQueNão?”, que agora toma forma e vida. Sucintamente essa é a minha autodescrição que mais se aproxima do meu verdadeiro eu. Mas em tempos de extremo materialismo, somos o que fazemos e não o que somos. Então vai aí um pouco do que fiz e faço: frequentei o curso de Artes Visuais na USP – Universidade de São Paulo, trabalhei como garçom, professor de artes, vendedor, fiscal de concurso público, fotógrafo e hoje trabalho no Courrieros como entregador ecológico; faço foto, vídeo, edição de vídeo, desenho, pintura, graffiti, toco percussão, bateria, cuido da minha horta orgânica; já fui voluntário no IPEC – Instituto de Permacultura e Ecovilas do Cerrado, onde tive minha primeira experiência prática com a arquitetura natural e permacultura, e na paróquia do bairro que eu morava – olha como sou bonzinho!.

 

VIVIANE NODA

vivianenoda

Me chamem de Vivi! Nascida em 1991. Vivi grande parte da minha vida na cidade de São Paulo, e durante a experiência do caos decidi procurar novos horizontes. Desde a adolescência sentia forte pressão em me tornar “alguém” na vida. Foi no período de formanda em Administração pela ESPM que me percebi toda encaminhada para seguir os passos “certos”. Então percebi que estava longe de me sentir completa. Os questionamentos foram aparecendo e com isso, o certo foi se transformando em duvidoso. Em meio as minhas confusões, descobri um outro mundo! Descobri um mundo onde tudo pode ser pensado para que todos saiam ganhando. Ganhando conhecimento, qualidade de vida, mais contato com a natureza,  auto conhecimento, e o mais importante de tudo: liberdade. A liberdade de ter opções. Opção de conhecer lugares e de ter tempo livre, que nenhum dinheiro desse mundo é capaz de comprar. Fiquei fascinada pelos benefícios de me tornar mais consciente e viver de maneira mais natural, sempre com foco, mas sem a pressa ilusória que eu mesma tinha me imposto. Meu sonho é poder compartilhar as experiências e conhecimentos adquiridos com esse projeto com o intuito de buscar cada vez mais, uma sociedade consciente e sustentável.

Além do PorQueNão?, (lá vem as formalidades) trabalhei com ecoturismo na Pisa Trekking, escrevia artigos para o Lar Natural e participei do curso do Yunus sobre Negócios Sociais. Viajei o Brasil com a Fiorinão por quase um ano e hoje moro na cidade de Mococa fomentando o empreendedorismo social e dedicando minha vida por um futuro mais harmônico.

[fblike layout=”standard” action=”like” share=”true”]