no

Um pouco mais de liberdade

Um pouco mais de liberdade

por | 23 maio 2016

 

Esses dias o Augusto chegou com um punhado de tomatinhos na mão, colhidos da nossa hortinha. Logo veio uma sensação de liberdade, de não depender de ninguém para comer tomates, couves, brócolis, manjericão, e etc. Claro que ainda estamos MUITO longe de nos autossustentarmos, mas aquilo me fez perceber o quanto minha vida mudou nos últimos meses.

 

Em São Paulo, eu tinha um dia a dia agradável, via meus amigos quase todos os dias, trabalhava em um dos únicos lugares que poderia me identificar (além de ser muito perto da minha casa), fazia academia, ou seja, não tinha o que reclamar. Mesmo assim comecei a perceber que alguma coisa ali tirava minha paz. Só pensava em viajar (e continuo), até que entendi que ali não era meu lugar. Odiava o trânsito, odiava todas as vezes que o Guto ficava doente por causa do ar, odiava andar com medo na rua, entre outras coisas.
Até que decidimos buscar qualidade de vida e focar no projeto que é o nosso sonho. Então partimos para Mococa, uma cidade com 70 mil habitantes a 280 km de São Paulo. Confesso que me deu um friozinho na barriga, pois não sabia como seria sair daquela zona de conforto.
Já estamos aqui há seis meses! Como o tempo passou rápido. E posso dizer que nos adaptamos, na verdade mais do que nos adaptamos, compreendemos que morar em São Paulo não seja mais uma alternativa (a não ser que não tenha saída). A vida aqui é tranquila, sem baladas, barzinho em dia de jogo, pressa, e com isso tivemos mais tempo para refletir.

Hoje percebo que não preciso preencher 100% do meu tempo, fazer tudo correndo, porque precisamos de tempo para pensar. Acredito que a reflexão traz o autoconhecimento que influencia todas as nossas relações, nossas atitudes, e consequentemente nossa paz.

 

Agora acordo alegre só de poder andar no meu jardim e ver a natureza me oferecendo lindos tomatinhos.

VIVIANE NODA

Empreendedora social e co-fundadora do PorQueNão?

Viviane Noda é comunicadora por natureza e acredita que sua missão de vida é encontrar soluções comunitárias.
Formada em administração com ênfase em marketing pela ESPM e especializada em Negócios Sociais pela metodologia Yunus, ela acredita que divulgar bons exemplos seja o respiro necessário para dar fôlego na caminhada de um futuro melhor.

Além de escrever, editar, filmar e coordenar, também dá consultoria de comunicação.

Gostou?

Lembramos que a missão do PorQueNão? é divulgar conteúdos riquíssimos como esse.  Conheça a nossa campanha de financiamento.

Escrito por guto

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Vegetariano: ser ou não ser?

Muito além da maioridade penal